Skip to content

Resenha: The Melancholy Death of Oyster Boy and Other Stories [poemas]

20 de abril de 2012

Autor: Tim Burton
Ano da publicação original: 1997
Ilustrações: do autor
Título no Brasil: O Triste Fim do Pequeno Menino Ostra e Outras Histórias
Editora: Faber and Faber
ISBN: 9780571270248
128 páginas

Avaliação: 

Leitores e leitoras querid@s, vocês nem sabem com que satisfação venho finalmente hoje aqui postar uma resenha de um livro que mal tive tempo de amar, tamanha a confusão que está minha vida acadêmica. Peço desculpas a todos e todas pelo abandono da última semana. Aos que vêm aqui constantemente procurando por um novo post, obrigada! Espero que gostem da resenha de hoje.

Há três dias, quando The Melancholy Death of Oyster Boy and Other Stories (no Brasil, O Triste Fim do Pequeno Menino Ostra e Outras Histórias, pela Girafinha) foi parar nas minhas mãos, prometi um post de correio no Twitter do blog (@Biblioluv). Como já terminei de lê-lo e já posso resenhá-lo, esse post será uma mistura das duas coisas. O coração está pronto? ;]

Então, vamos às fotos da minha edição. É um hardcover da Faber and Faber (editora britânica). A edição é belíssima e o papel das folhas é espesso, macio e resistente. Na sobrecapa temos a ilustração de “Stick Boy’s Festive Season”, um dos poemas. A capa é simples, preta, e na lombada há o título do livro e o nome do autor em vermelho.

Provavelmente muita gente está surpresa por esbarrar com um livro do Tim Burton, ele que é mundialmente famoso como diretor dos imensos sucessos cinematográficos Edward Mãos-de-Tesoura (1990), O Estranho Mundo de Jack (1993), A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (1999), A Noiva Cadáver (2005), dentre outros. Burton, no cinema, é sinônimo de personagens outsiders, renegados, malditos e infelizes, e cenários góticos e desolados. Na literatura não é muito diferente. É exatamente esse o clima de The Melancholy Death of Oyster Boy and Other Stories: cada um de seus personagens, crianças de aparência e comportamento extremamente peculiares, pode ser comparado ao doce e angustiado Edward de Burton.

A forma escolhida pelo autor para narrar o destino de seus adoráveis infelizes é o verso. O livro é composto por 23 poemas narrativos, muitas vezes rimados. São poemas simples mas, ao mesmo tempo, muito fortes. É bom deixar claro que este é um livro sobre crianças, mas não para crianças, devido aos temas abordados e ao teor extremamente pessimista.

Mas a parte escrita é apenas 50% (ou talvez menos!) da obra. Os desenhos de Burton destacam-se ao lado de seus versos, quase sempre superando-os em beleza e expressão. As imagens dos personagens nos doem como lágrimas sobre o papel, e são ao mesmo tempo doces e ternas. Diretor, poeta e desenhista (e se alguém souber de mais algum talento dele que ignoro, peço que me diga): Burton é um artista complexo. Vamos a uma pequena amostra da parte visual do livro, com alguns dos versos (passe o mouse para ter explicações/traduções minhas):

Mas nem tudo são lágrimas em The Melancholy Death of Oyster Boy and Other Stories. É possível encontrar um pouco de humor também, e alguma esperança. Os versos e desenhos de Burton nos fazem sentir toda a dificuldade e beleza do que é ser diferente num mundo em que nos forçam a sermos perfeitos, a termos aparência e comportamento de linha de produção.

Se você já é fã do Burton, vai apenas constatar o seu talento e sensibilidade em lidar com o tema. Se não é, aposto que não ficará indiferente com o que ler… e ver.

P.S.: Estou esperando, por esses dias, receber uma action figure de Roy, O Menino Tóxico, da Dark Horse. Aguardem!
P.S.2: A edição em português, pela editora Girafinha, infelizmente está esgotada no fornecedor. Veja aqui.

Comprar: The Book Depository

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 20 de abril de 2012 13:36

    Um livro do Burton é novidade pra mim! Sou grande fã da maioria de seus filmes, Edward e Ichabod Crane disputam minha preferência, mas não imaginava que ele também escrevia – em que mundo estava?. Fiquei bastante curioso com o livro, e isso é de se admirar por eu não me dar muito bem com poesia, e o fato de ele ter sido escrito por quem foi tem grande influência nisso. O jeitão melancólico das obras do Burton me atrai, e só pelas imagens que você postou e pela forma como falou dele a gente já fica com sede por mais.

    Mais um pra ficar de olho 😉

    Grande abraço!

    • 20 de abril de 2012 13:52

      Luciano, eu também não sabia do livro do Burton até pouco tempo. Como também sou fã, coloquei logo na lista!

      Também não sou das maiores entusiastas de poesia (já gostei muito mais!), mas esse é um livro lindíssimo, e recomendaria com certeza até mesmo se não fosse fã do autor…

      Muito obrigada pelos elogios e volte sempre!

      ;]

Trackbacks

  1. Etc: Adeus, Toxic Boy! :( « Biblioluv

Seu comentário é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: