Skip to content

Resenha: Coisas Frágeis 2 [contos e poemas]

11 de fevereiro de 2012

Autor: Neil Gaiman
Ano da publicação original: 2006
Língua original: Inglês
Título original: Fragile Things
Tradutora: Michele de Aguiar Vartuli
Editora: Conrad
ISBN: 9788576163985
168 páginas

Avaliação: 

Coisas Frágeis 2 é uma coletânea de 14 contos e 8 poemas de Neil Gaiman. Diferentemente do que me aconteceu ao ler Coisas Frágeis, o segundo volume da coletânea não me assustou tanto assim. Não que seus personagens e tramas sejam menos pesados. É um livro “maldito”, por excelência. Encontramos ou vampiros ou zumbis ou infelizes ou malfadados por todos os contos (e alguns poemas). A linguagem oscila entre poética e crua.

Vamos começar pelos versos. Apesar de não estar na vibe dos maiores apreciadores de poesia do mundo, gostei muito dos poemas de Gaiman. São ao mesmo tempo líricos e fantásticos, contendo imagens lindas como “Monte na águia sábia (você não cairá)/ Monte no peixe prateado (você não se afogará)”,  versos de “Instruções”, meu preferido. São um espelho da prosa do autor: relatos mitológicos, fantásticos e melancólicos.

Os contos são fortíssimos, cada um a seu modo. Todos têm notas fantásticas ou, se não, de sonho. São, no geral, mais curtos do que os contos do primeiro volume. Falarei aqui dos meus dois preferidos, que já valem pelo livro todo, a meu ver.

“Noivas Proibidas dos Escravos Sem Rosto na Casa Secreta da Noite do Temível Desejo” pode até ter esse título horrível, absurdamente longo (coisa que se repete com outros contos da coletânea), mas é uma narrativa sutil e genial sobre um jovem nobre que, situado em um mundo fictício, sonha em conceber um romance perfeitamente realista (com o qual temos contato, inclusive!), mas acaba se perdendo no próprio estilo. É um lindo retrato às avessas do que se entende hoje por Realismo X Fantasia na literatura.

Já “O Dia dos Namorados de Arlequim” situa esse verdadeiro mito do Carnaval em uma cidade americana, entre os viventes comuns que frequentam mercadinhos e lanchonetes. A história tem início quando ele deixa o próprio coração preso com um alfinete à porta de uma jovem por quem se diz apaixonado, e segue daí até as muitas voltas que o órgão dá no bolso da moça até seu destino final. Paixão, mistério e terror se revezam na construção do conto, que nos deixa, ao fim, certos de que a história do Arlequim de Gaiman é um ciclo sem fim do qual temos um retrato vibrante em mãos. A história foi transformada em graphic novel ilustrada por John Bolton, disponível, aqui, sob o título A Paixão do Arlequim, também pela Conrad.

Ao fim, fiquei com a sensação única de quem conhece, com detalhes, um universo obscuro, perigoso e fascinante em pouco mais de 160 páginas. Ainda que o realismo fantástico de Gaiman não seja nem se torne o meu gênero preferido, não poderia nunca negar que ele é, de fato, um mestre da narrativa.

Dica básica: Não leiam antes de dormir nem antes ou durante as refeições. ;]

Comprar: Loja Conrad | Submarino

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Laís permalink
    24 de fevereiro de 2012 14:13

    Eu simplesmente amo esse livro!

    Parabéns pelo blog e por todas as matérias, inclusive a de Neil Gaiman narrando esse conto incrível (estou neste exato momento ouvindo a voz do meu amado e idolatrado escritor)!

    • 24 de fevereiro de 2012 17:53

      Obrigada, Laís!

      Volte quando quiser e aproveite o presente do Gaiman. ;]

Seu comentário é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: