Skip to content

Etc: Sobre hábitos de leitura e livros de qualidade

1 de fevereiro de 2012

Quantos livros você lê por ano?

Essa tão famosa pergunta é um meio universalmente (e inclusive oficialmente) aceito para qualificar os hábitos de leitura das pessoas. Mas será que é somente isso que importa? Ler muitos e muitos livros, não importando como, onde ou quando?

Bem, não pra mim, pra quem o ato de ler é uma experiência quase mística. Preciso de conforto e silêncio para ler e aproveitar minha leitura. Admiro quem consiga se concentrar com um livro no ônibus/metrô, na fila do banco, no meio das rodinhas de fofoca, no olho do furacão… Mas… eu… não… consigo. Simples assim.

Já virou cliché dos chamados bookaholics (pessoas que se dizem viciadas em livros) dizer que leem de tudo, “até bula de remédio”. Ah, taí algo que nunca vou querer pra mim, como digo na minha descrição aqui do blog. Não mesmo, não me interessa.

Aprendi a valorizar o livro de qualidade, que não tem nada a ver com gênero, linguagem ou público-alvo, mas sim com os critérios de publicação e, claro, de escrita e tradução (ela que hoje em dia vem sendo agredida, morta e esquartejada por algumas das editoras de maior “sucesso” no Brasil!).

Fazer um livro bom não é fazer uma capa maravilhosa e pronto. Deveria ser óbvio, mas não é! Quer se concentrar na beleza gráfica? Monte um ateliê, mas fique fora do mercado editorial. Amo livros, mas odeio a forma como vêm sendo tratados por certos (ir)responsáveis por criá-los. Não leio, não compro. E conto pra quem quiser ouvir que não prestam.

Vou responder a pergunta do início do post: atualmente leio cerca de quinze livros por ano. (achou muito, leitor ou leitora? Pois fique sabendo que tem literoblogueiro e blogueira por aí que lê cerca de cem). Estou bem longe de me preocupar com esse número, mas também não me vanglorio de tratar a leitura como algo tão delicado que não possa ser mais aproveitado. Quem sabe algum dia eu consiga me pegar por aí, num buraco negro, tão ocupada em rir de Douglas Adams que nem perceba que o mundo acabou.

P.S.: A propósito, vocês sabem como foi feita a “tradução” de A Guerra dos Tronos disponível aqui no Brasil, por aquela editora brasileira agora tão famosa? O tradutor português explica. Clica aqui, ó. ;]

Anúncios
13 Comentários leave one →
  1. Laís permalink
    24 de fevereiro de 2012 15:12

    Eu definitivamente não consigo me concentrar em lugares barulhentos (se bem que aqui em casa minha família liga a TV justamente quando estou lendo no conforto do meu sofá, mas eu estou tentando me acostumar a isso). Nada melhor do que um lugar sereno. uma boa xícara de chá, um ótimo livro (é claro) e de preferência um tempinho frio…

    • 24 de fevereiro de 2012 17:57

      Acho válida a tentativa de tentar se desligar do mundo também. Talvez eu me aperfeiçoe um dia… Boa sorte pra nós, Laís. ;]

  2. 7 de fevereiro de 2012 19:44

    Eu até consigo ler no ônibus e em outros lugares barulhentos, mas depende do livro. Se eu estiver envolvida na história, pode cair o mundo que eu nem percebo.
    Mas concordo com você sobre essa moda de ler 100 livros por ano. Não faço ideia de quantos eu leio – parei de contar quando eu tinha uns 15 -, mas não deve passar da faixa dos 15 também. Aliás, esse foi um dos motivos por eu não topar a coluna de literatura lá no blog. Se um dos temas exigisse um livro que eu nunca tinha lido eu não teria como garantir a leitura num prazo pequeno.
    É melhor não dar nome as burros, então… Tem uma editora que está fazendo muito sucesso na rede por causa das capas lindas, mas nunca compraria nenhum livro deles. O texto vem sempre cheio de erros, um terror.
    Em compensação, a Cosac Naif e a Cia das Letras fazem sempre edições lindas, sem esquecer do cuidado com a revisão. Compro livro por causa da capa, mas eu leio todos eles, então prefiro que o texto esteja legal também. 😉
    bjs,
    Amanda

    • 8 de fevereiro de 2012 9:35

      Pois é, não deveríamos nem contar mesmo. Acho que devíamos fazer uma reflexão: Conheci muita coisa esse ano por meio da leitura, me diverti, me emocionei? E pronto. Mas vem sempre aquela vontade de contabilizar, de “se superar”… Se você gosta de ler cem livros por ano, tudo bem. Se você acha que ler dez é aproveitar tudo melhor, que seja! Não vai ser um leitor inferior por causa disso.

      Acho que sei de que editora você fala. Já me decidi a não comprar livro deles, mesmo que o autor seja brasileiro (a chance de encontrar erros ridículos é menor, por não precisarem de tradução). É estar contribuindo pro crescimento de uma empresa que não leva o trabalho a sério.

      Concordo com o que você disse sobre as outras duas editoras (quem poderia discordar?), embora os livros da primeira infelizmente estejam fora do alcance da imensa maioria por causa dos preços muito altos. ;*

  3. 7 de fevereiro de 2012 6:01

    Eu sou do tipo que demora dias e dias para terminar um livro e só consigo ler num lugar bem tranquilo e sozinha. Tenho problemas horríveis de concentração.
    P.S.: A corujinha no coração ficou liiinda.
    Beijos

    • 7 de fevereiro de 2012 12:04

      Já vi que você se identificou comigo, Alyne. Embora seja algo que eu pretendo mudar, se eu não aproveitar minha leitura da mesma forma, não me forço. Mesmo. Só vou ler quando puder ter paz…

      Obrigada! ;*

  4. Ravel permalink
    7 de fevereiro de 2012 1:46

    Só 15? Durante o ano todo? Eu acho pouco mais também no posso dizer nada, de cada 10 livros que eu leio por mês geralmente só um é considerado “boa literatura”.

    • 7 de fevereiro de 2012 12:00

      Verdade, Ravel, é pouco mesmo. Como eu disse, tô tentando ser menos chata em termos de leitura e procurando ler mais, mesmo que não seja no meu ambiente ideal (que é tão difícil de encontrar!).

      Eu acho que quem nomeia a “boa literatura” é a gente, nossas considerações. Já o bom livro (ou edição), como eu disse, é aquele feito com cuidado e esforço. Se for uma tradução, isso fica ainda mais evidente. ;]

  5. 4 de fevereiro de 2012 2:20

    Eu normalmente leio uns 50 por ano, mas também tenho mais facilidade para ler. Se o livro me chamar atenção mesmo, eu consigo até em pé no meio de uma manifestação, esqueço do mundo. Dependendo do livro fica mais fácil ou difícil, mas com certeza em uma ambiente calma e confortável a leitura fica muito melhor. Eu normalmente quando leio acabo lendo direto, porque gosto de conhecer a história toda de uma vez (tenho essa mania com seriados também, às vezes 1 temporada inteira direto).

    Mas concordo com você quanto 1) as pessoas estão nesse “desespero” de ler e acabam passando por cima de muita coisa 2) essas editoras fazem muita besteira e ninguém fala
    Jogos Vorazes é uma das minhas séries preferidas e foi uma tristeza ver a Rocco distorcer só porque, talvez, seria melhor para criança (não sei onde). Não consigo nem comprar, porque acho que não vale a pena.

    Não sabia dessa de Guerra dos Tronos, mas que sacanagem! Dá uma raiva tão grande dessas coisas ‘-‘

    • 4 de fevereiro de 2012 8:26

      Engraçado, Dana, comigo é o contrário. Gosto de demorar mais na leitura do livro, porque assim crio mais familiaridade com os personagens, com a história, acho tudo mais intenso… vai entender! xD

      Muito bom você ter me avisado dessa distorção em Jogos Vorazes. Tava a fim de comprar a tradução pela Rocco (que considero uma editora excelente, por sinal…! Que decepção!), mas agora tô mudando de ideia.

      Sobre o que fizeram com Guerra dos Tronos, já não me admira, sinceramente. Essa editora já fez cada coisa por aí que desvio os olhos de vergonha, não respeitam nem obra nem tradutor. ;*

  6. Bianca Tenório permalink
    1 de fevereiro de 2012 20:34

    O livro é este aqui:

    Supernatural: O Diário de John Winchester

    • 2 de fevereiro de 2012 10:04

      Pois é, tô tentando melhorar a espessura da minha bolha de leitura imaginária e espero que dê resultados. Sou uma leitora muito da incomodada! xD

      Dei uma olhada no seu livro. É baseado no seriado, né? Surgiram muitos romances desse tipo ultimamente (não acompanho seriados, mas blogs literários em geral têm divulgado muitos livros). É, a capa não é uma obra-prima das artes gráficas, mas também não achei tão má…

      Obrigada pela lembrança! Abraço de urso! ;]

  7. Bianca Tenório permalink
    1 de fevereiro de 2012 20:30

    No meu caso, consigo ler durante os jogos da Copa do Mundo (dormir também), enquanto as crianças choram e os cachorros se desesperam. O fator determinante é o livro, pois quando estou muito envolvida em determinada leitura, só ela importa. Não consigo ler com gente perto de mim e em ônibus, Deus que nos livre 🙂

    Jéssica, lembrei de você nesses dias. Estou querendo demais um certo livro, já está até encomendado, mas a capa é TÃO feinha… bem que poderiam ter caprichado no bichinho! Ainda colocaram as fotos dos atores na capa! Dá uma olhadinha e fala se não dá um desgosto danado essa capa.

Seu comentário é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: